quinta-feira, 26 de maio de 2011

Amor: o regresso!



O amor não morreu!
e dificilmente morrerá
mesmo que seja deixado de lado
esquecido num canto
Moribundo ele segue seu caminho
nas linhas de algumas poesias
e naqueles corações
que ainda acreditam nele
Mesmo 
arrastando-se na penumbra,
com o corpo em chamas...
sem falar na alma que sem força
luta, agarra-se ao coração
que ainda sangra
Mas assim, enquanto houver
existir um poeta se quer
resistirá a mais intensa tormenta
O amor é forte...
resiste ao frio e até mesmo as águas gélidas
como um naufrago solitário
resiste a tudo até aos dissabores
Ventos e mares...
guerras e catastrofes climática
Permanece firme
resiste a tudo

libertam os corações cativos,
é tempo dele regressar,
porque se esconde dentro de nós
e não morreu ainda,
porque vem do eterno
Bem das nossas profundezas
ele resiste a tudo
e eventualmente ressurge
respira com o auxilio de aparelhos
bate fraco...mas sobrevive!!!
(Fouquet, 26 de maio de 2011)
http://floradapoetica.blogspot.com

DIREITOS RESERVADOS


Eu me reservei o direito
De ir e vir,
De aceitar apenas o que me servir
De chorar e de sorrir
Quando tiver vontade
De calar e ouvir
Quando sentir necessidade
De falar e exprimir
Tudo que pra mim é verdade
De gritar e me fazer ouvir
À quem eu julgue
Merecer minha amizade
De ignorar e desprezar
O que pra mim é maldade
De abolir de minha vida
Toda a forma de infelicidade
Sim, eu tenho esse direito.
À mim foi concedido
O livre arbítrio
E isso... Ninguém me tira!

Rita Encinas
http://sonhosemiragens.blogspot.com

AQUELE CARA

Quem é aquele cara
que anda ziguezagueando
pelas ruas e calçadas
cantarolando
velhas e renovadas baladas de amor
Parece estar sempre apaixonado
desligado de tudo
focado em uma imagem
perdida nos ares?
Quem é aquele cara
que passa por lojas e bares
e atreve alguns olhares
mas logo retorna à sua miragem
Com certeza é alguém que crê em seus sonhos
e empreende no mesmo momento
tantas viagens
Quem é aquele cara
que dispara tantos versos
nas múltiplas faces
de um rosto
que só ele consegue interpretar?
Que é aquele cara
que anda sempre só
que bate o pó do moleton
e deixa a jaqueta sempre relaxada
aberta como se esperasse abrigar alguém
para oferecer o abraço mais longo possível
o abraço definitivo
para selar um amor
tão irresistível?
Quem é esse cara
esse andarilho
que truque é esse
de parecer que anda dentro de um conversível
com o capô sempre aberto?
que truque é esse
de parecer que voa sobre um tapete mágico
e faz florescer um deserto?
Seria a lâmpada de Aladim....
claro que não....
apenas o clarão de um amor sem fim...
Quem é esse cara enfim
que mergulha em seu olhar?

Carlos Gutierrez 
http://poema-gutipoetry.blogspot.com/

O que você achou do novo visual?