quarta-feira, 20 de abril de 2011

De repente nos encontramos!


Estávamos quietos 
cada qual no seu canto
Nossos corações fechados 
blindados com medo de tudo
De repente nos encontramos
tudo começo apenas com amizade
idas...e vindas...cineminha...
e mais nada
Sem que eu me desse conta
bem devagar...observei-te
bem mais a fundo
trocamos palavras mais doces..
Ainda me lembro bem
o primeiro dia que vi você
Foi ali que senti um a mais
Dentro de mim acendeu-se algo
A verdadeira chama do amor
Nossos olhos se cruzaram
Mas os medo nos impedia...
os dias se passaram...
e a falta por ti aumentou
que te ver mais uma vez
e outra...e mais outras tantas
Enfim, o medo deu lugar ao desejo
a vontade de beijar a tua boca
e sem pensar...aconteceu
ali começou um grande amor.
Agora se tornou um amor tão forte
Que nem sei mais se aprenderia viver solitário
Só sei de uma coisa
Que você é o grande amor 
aquele amor da minha vida
Uma pergunta vem sempre a minha cabeça
Porque nos conhecemos?
Será que foi o destino?
ou será que estava escrito?
Para essas perguntas eu não tenho respostas
não tenho ainda
Só sei que tínhamos que nos conhecer
Somos semelhantes em tantas coisas
somos dois que num instante
viramos um...
A eternidade pertence a nós
E pela eternidade vamos nos amar.
Nossa relação é tão perfeita
fusão verdadeira...
 às vezes, penso que é um sonho
Mas logo olho para o lado
E a vejo e me convenço
Que você existe e 
que comigo estas aqui...
Junto a mim
dentro do meu coração
fazes parte dos meus sonhos
Te amo...Te desejo...Te quero...
intensamente!
(Fouquet, 30 de outubro de 2010)

O que você achou do novo visual?